emocoes-dna
Dr. Guaracy Rosa

Dr. Guaracy Rosa

Emoções e DNA

O DNA (Ácido Desoxirribonucleico) existentes nas mitocôndrias das células que compõe organismos biológicos de diversas espécies, responde pela transmissão das características genéticas hereditárias de pai para filho.

As alterações no DNA produzem consequências nos organismos e vários fatores interferem e produzem estas alterações, como as emoções, por exemplo.

Um cientista chamado Gregg Braden, geólogo com currículo em desenho de sistemas aeroespaciais digitais, estudou alterações cromossômicas produzidas pelas emoções, associando o “Efeito Isaias” e “Física Quântica”. Utilizou microscopia eletrônica de última geração em células humanas. Fez diversos experimentos retirando de indivíduos leucócitos, conhecidos glóbulos brancos do sangue. E elaborou um procedimento científico no qual colocava em salas próximas o doador dos leucócitos e, em outra sala, o microscópio eletrônico. Colocou o indivíduo doador destas células em frente a uma TV e o submeteu à diversos vídeos, variando o conteúdo, em enredos com temas, ora de extrema agressividade, tristeza à temas amorosos com cenas de amor, outros com cenas de desastres, outros com diversos momentos de alegria, e assim, diversas situações cotidianas que vivenciamos diariamente, seja pessoalmente ou através dos meios de comunicação. Enquanto estas cenas eram transmitidas na TV para o indivíduo na sala ao lado, o pesquisador analisava seus leucócitos. Ele detectou variações significativas no DNA dos leucócitos e inclusive, em alguns momentos, houve alteração na estrutura espiralada do DNA, com eventuais remoções de suas partes. Em seguida, o doador e seus leucócitos foram distanciados (cerca de 80 kms) e os testes se sucederam e observou as mesmas alterações ocorrendo da mesma forma e ao mesmo tempo, comprovando o princípio quântico da UNIDADE, ou seja, compomos um TODO, e este TODO é UNO. Existe uma conexão entre as partes deste TODO de forma instantânea (física quântica).

A importância destas experiências é de extrema relevância pois, de um lado confirma as teorias da Física Quântica e, por outro, esclarece a importância e gravidade das alterações que podem e acontecem no DNA de todos os indivíduos e produz alterações positivas e negativas em seu organismo. Quando nossas emoções tais como a raiva, a angústia, a ansiedade, se reverberam em nossa estrutura orgânica, podem influenciar e alterar essa estrutura e gerar efeitos graves que podem culminar em doenças. O que sugere o cuidado que devemos ter com nossos sentimentos, com nossas emoções. Foi nesse sentido que JESUS nos recomendou: “Vigiai e orai”. Pois além do corpo físico, a mente deve estar sempre em EQUILÍBRIO.

O estresse contínuo, por exemplo, pode gerar alterações no nosso sistema retículo endotelial (SRE), com a liberação de hormônios como o cortisol das suprarrenais, que provoca queda de resistência do organismo à agentes infecciosos externos, como bactérias e vírus, como o da gripe, reduzindo nossas defesas, nossos anticorpos e favorecendo o surgimento destas infecções inoportunas, além de alterações psicossomáticas como a insônia, a depressão, entre outros. Não obstante, fornecendo o aporte para doenças mais graves como, por exemplo, o câncer.

Observamos também que muitas vezes somos influenciados em nossas atitudes e comportamento, por este excesso de informação desagradável, angustiante, da realidade do mundo exterior e da exacerbação dessa realidade, até em momentos de lazer, como quando vamos ao cinema e assistimos filmes com temáticas de agressividade impactante, de terror, de tragédias, que muitas vezes nos provocam sentimentos desconfortáveis que levamos conosco ao final da sessão, trazemos para o lar, levamos no pensamento e produzimos reações em nossa estrutura corporal. O que nos leva a pensar como devemos aproveitar melhor nossos momentos de lazer para o verdadeiro descanso físico e psíquico.

O experimento chamado “Efeito Isaias” foi também aplicado em outras condições, como na avaliação das emoções em relação a diversas substâncias, como por exemplo, em relação à água, e observou-se que estas também sofriam alterações em sua estrutura original, confirmando conclusões como a de que o pensamento emite energia em forma de vibrações e estas podem influenciar o meio ambiente, segundo a teoria quântica da “Não localidade”, ou seja, a possibilidade de dois fenômenos simultâneos instantâneos ocorrendo independente da distância entre eles.

Quanto às alterações no DNA pelas emoções lembramos que este não reconhece a diferença entre o que é REAL ou IMAGINAÇÃO em nossos sentimentos, mas sofre alterações sob quaisquer circunstâncias.

Baseados nessas conclusões devemos VIGIAR, como pediu JESUS, policiando nossas emoções e buscando nosso EQUILÍBRIO INTERIOR, mantendo nossa mente em estado alfa (oscilações em torno de 7.3 à 8.0 Hertz) ou em estado de meditação ou oração, sempre que possível, e nos afastando do que nos provoca emoções ruins, desagradáveis ou destrutivas. Assim produziremos em nossos organismos a FORÇA INTERIOR que necessitamos para enfrentar a vida diária.

Dr. Guaracy Rosa

Dr. Guaracy Rosa

Formado em Odontologia. Professor de Farmacologia. 48 Anos Carreira Universitária. Integrou Corpo Docente da USP. Doutorado em Farmacologia.

Compartilhe esta postagem
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email