monada
Dr. Guaracy Rosa

Dr. Guaracy Rosa

Monada

A palavra MONADA se origina do grego “monos” que significa sozinho, único ou número um. O MONISMO também se origina de “monos”, porém refere-se à filosofia, enquanto que “monada” é a menor partícula existente no universo, e segundo físicos espiritualistas, é o componente que faltava na teoria atômica para explicar a essência de Deus manifesto e também a denominaram de “consciência” que existia antes e continuou existindo depois do Big Bang.

Sabemos que existem muitas partículas do átomo, como os quarks e outros, e o componente MONADA completaria a estrutura atômica.

Há hipóstese que a MONADA teria natureza da quarta dimensão e fica, portanto, fora do alcance da matemática euclidiana e do “Colisor de Hadrons” de Genebra.

Lembramos que vivemos na terceira dimensão e nossos recursos científicos também, sendo essa a dificuldade dos cientistas em detectar a MONADA.

Através da MONADA é que entendemos a passagem bíblica em João 1:1 – “No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus!” Verbo ou CONSCIÊNCIA pode-se afirmar são a mesma realidade.

Dessa partícula, a MONADA, se originou o universo, numa projeção cósmica e altamente inteligente, e essa expansão, e não explosão, como inicialmente se pensava, passou a predominar nos meios científicos com a ocorrência do Big Bang. E acreditavam que o universo continua se expandindo, porém com características cíclicas, ou seja, parte de um ponto, atinge um limite e retorna ao ponto de origem.

Na expansão, a MONADA se fragmentou e permaneceu nas partes e isso explicaria a perfeição que existe numa simples bactéria. Entretanto, a unidade na diversidade foi mantida e pode-se afirmar que é um princípio universal em toda natureza animada e inanimada. Observem a movimentação de um cardume de peixes que se movem como se fossem um único indivíduo; também ocorre o mesmo com pássaros em revoada. Esta constatação é uma mensagem biológica, sugerindo que a união leva à harmonia, confirmando o princípio monista que é a grande realidade e quando a união se desfaz ocorre um desequilíbrio na natureza, exigindo correção automática.

Enfatizamos esse princípio da unidade para lembrar que as organizações sociais enquanto não adotarem o sistema unificado, não haverá paz entre os homens, porque esse princípio é biológico e faz parte do elenco de leis da natureza. Foi por esse motivo que Jesus recomendou: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, Mateus 22:39 e João 13:34 e 3:11.

Como já dissemos, a MONADA se expande de forma cíclica, portanto, retorna ao longo de um tempo, à sua origem e é um fenômeno ad-eterno, e na filosofia Védica é a grande respiração de Brahman. É “Ele”, Deus, existindo!

Podemos tirar várias conclusões do princípio unitário ou inferir outras. Exemplificando: o momento atual em que se encontra a humanidade é um quadro desolador, pois as bases sociais enfraqueceram, os princípios éticos desapareceram e um materialismo doentio se instalou.

E o respeito ao ambiente e ao próximo já se esgotaram com a perda total da unidade.

Como recuperá-la? Certamente trabalhando as futuras gerações com a doutrina do MONISMO, restaurando a unidade biológica perdida. Haverá tempo? A grande incógnita…

Dr. Guaracy Rosa

Dr. Guaracy Rosa

Formado em Odontologia. Professor de Farmacologia. 48 Anos Carreira Universitária. Integrou Corpo Docente da USP. Doutorado em Farmacologia.

Compartilhe esta postagem
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email