a-importancia-do-prazer
Dr. Guaracy Rosa

Dr. Guaracy Rosa

A Importância do prazer

Para vencermos a entropia que é a autodestruição, inerente à nossa natureza, a inteligência superior nos condicionou à vários estímulos e dentre eles, talvez, o mais importante seja o prazer.

Quando nascemos sentimos o prazer na sucção para nos alimentarmos no seio materno, sentindo um grande prazer, é o primeiro estímulo à nossa sobrevivência e é conhecida como fase oral, quando a criança leva tudo para a cavidade bucal. Lembramos que essa cavidade é revestida de mucosas nas quais são localizadas papilas gustativas que nos dão a sensação de prazer. Essa fase oral se estende por toda vida e está ligada ao prazer da alimentação e sensibilidades erógenas. Aliás, todas as áreas revestidas de mucosas nos transmitem prazer.

Imaginem se não sentíssemos prazer em nos alimentarmos, não sobreviveríamos. O prazer continua na sequência de nossas vidas e na fase adulta somos impulsionados a sentir o prazer do relacionamento sexual com todos os recursos erógenos que nosso organismo possui, desde a atração visual até a consumação do amplexo sexual. O erotismo inicia na puberdade e garante a perpetuação de nossa espécie. Se não sentíssemos prazer nesse relacionamento, também não existiríamos!

É por esse motivo que divergimos de religiões que tratam a atividade sexual como algo pecaminoso. Aliás, é bom que lembremos que tudo que bloqueia o prazer, que faz parte de nossa natureza, é causa de sofrimento e transtornos psicossomáticos. É lógico que existe uma linha divisória, limitando os excessos, que poderiam acarretar distúrbios, como obesidade mórbida, aberrações sexuais e crimes passionais.

O ponto de equilíbrio é o recomendado pelo MONISMO, como essencial para nossa sobrevivência nesse planeta e nosso organismo é apenas um veículo.

Quando ocorre sensação de prazer em nosso organismo através de estímulos periféricos pelos sensores, ocorrem também a produção de mediadores químicos em nosso corpo, como noradrenalina, dopamina, serotonina, endorfina, e outros, que vão estimular centros do prazer situados no cérebro e nos dão a sensação prazeirosa e quando atinge o ápice leva o indivíduo ao orgasmo.

Quando a nutriz (a mãe que amamenta) serve ao filho, também sente prazer, pois ela recebe estímulo de um hormônio chamado ocitocina, oriundo do lobo posterior da hipófise, que além de dar prazer à mãe, promove a ejeção láctea ao filho, aumentando  a quantidade de leite materno produzido. Essa ocitocina, também está relacionada com as contrações uterinas no momento do parto e favorece a expulsão fetal, o que chamam de dores do parto, e na medicina, contrações de Braxton-Hicks. Ainda, a ocitocina é citada como participante da libido na fase da terceira idade e é por esse motivo que nesse período as pessoas idosas sentem atrações pelo sexo oposto.

Ainda, sobre o prazer, lembramos que na mocidade, além de atrações físicas pelo sexo oposto, existe prazer na atividade física ou esportiva com desejos de vencer como estímulo e também, os hormônios do prazer participam, naqueles que frequentemente praticam atividades esportivas, e os que se emocionam quando seu time de preferência conquista vitórias.

O prazer está presente em todos os momentos de nossa vida e toda frustração que ocorre em relação ao prazer é a grande causa de sofrimento da humanidade e também da maioria das doenças de fundo emocional.

Finalmente, na velhice devemos vencer a entropia, sentindo prazer nas pequenas coisas que ainda podemos fazer.

Pela sensibilidade tátil, também referida como estereognosia, possibilita o reconhecimento de um objeto pela sensibilidade tátil, térmica e dolorosa, reconhecendo forma, contorno e estado dos objetos. É através dessa sensibilidade que o prazer de carícias se estabelece no manuseio de regiões erógenas, de ambos os sexos. Também, pela sensibilidade tátil, artistas plásticos se expressam em suas esculturas, trabalhando o material para a confecção de uma obra, causa prazer ao artista e ao observador. Lembramos a artista Otake que faleceu recentemente com 101 anos de idade e, indagada sobre sua longevidade, respondeu que é o prazer de realizar obras artísticas que a estimulava a viver.

Pintores, escritores, poetas, artistas, arquitetos entre outros, se expressam da mesma forma, é o prazer que os motivam.

A sensibilidade visual é que inspira também a sensibilidade estética quando as formas, a harmonia e a beleza de um determinado objeto agrada milhares de pessoas como o retrato de Monalisa. A beleza do rosto de uma pessoa ou seu corpo, nos transmite prazer e, como vemos, o prazer está presente constantemente em nossas vidas e podemos dizer que felicidade se expressa por momentos de prazer que a vida nos proporciona.Por outro lado, o bloqueio do prazer causa transtornos psíquicos ou emocionais e, mesmo alterações físicas com sintomas que dificultam nossa vida de relação. Os Psiquiatras e Psicólogos, Filósofos e Doutrinas Espirituais afirmam ser a falta de prazer na vida a causa de tanto sofrimento e conflito entre as pessoas e povos, pois a procura de uma vida prazerosa é a grande frustração dessas pessoas que vivem se digladiando à procura de paz, mas não a encontram. Porque a verdadeira paz encontra-se no interior de cada um, como preconiza o MONISMO. Esta é a solução para o sofrimento da humanidade.

Dr. Guaracy Rosa

Dr. Guaracy Rosa

Formado em Odontologia. Professor de Farmacologia. 48 Anos Carreira Universitária. Integrou Corpo Docente da USP. Doutorado em Farmacologia.

Compartilhe esta postagem
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email